Posts

Miami: a queridinha dos brasileiros

Praias exclusivas, recantos naturais e incontáveis possibilidades de compra fazem a viagem valer a pena.

Miami já foi a principal porta de entrada dos visitantes brasileiros nos Estados Unidos. Embora seja um destino atraente com praias charmosas e muitas atividades diurnas e noturnas, a maioria dos turistas apenas fazia uma ponte para os parques de Orlando. Com o passar dos anos, a cidade mudou, se renovou e está em constante expansão. Hoje, Miami oferece um mix variado de atrativos culturais, artísticos, esportivos, gastronômicos, compras, vida noturna e muito mais.

Miami city

No roteiro estão os bares e restaurantes de South Beach, a cultura artística de Wynwood, a energia de Downtown Miami e o sofisticado bairro de Bal Harbour, onde o “jet set” internacional se encontra em uma combinação perfeita de atividades para relaxar, curtir a praia, comprar e se informar. Situado a 15 minutos de South Beach, Bal Harbour é considerado um dos locais mais badalados de Miami. Oferece a melhor concentração de hotéis de luxo, praia e compras, fácil acesso ao Museu de Arte Moderna (MOCA) e do novo Perez Art Museum Miami (PAMM), de Wynwood e seus famosos Wynwood Walls, além de estar a menos de 30 minutos do Aeroporto Internacional de Miami e de Fort Lauderdale. Os principais pontos turísticos de Miami são as praias de Miami Beach, os museus de Arte, de Ciências e o Histórico do Sul da Flórida; o distrito histórico de Art Déco, o bairro de Coral Gables, o calçadão de Lincoln Road, o Fairchild Tropical Garden e a Casa Vizcaya.

O paraíso das compras é Miami

miami for shopping

Com boutiques de luxo de designers, lojas-conceito e outlets, Miami pode ser chamada de paraíso das compras. Entre as muitas opções estão as compras ao ar livre, onde os visitantes podem apreciar a paisagem enquanto se deliciam com as compras. Em frente à bela Baía Biscayne e rodeado por uma paisagem urbana que inclui o Porto de Miami e a Arena American Airlines, está o Bayside Marketplace com mais de 150 lojas e pequenos carrinhos e quiosques que vendem peças de artesanato, souvenirs e bijuterias. Além de um imenso Hard Rock Cafe, o lugar também oferece excelentes restaurantes de frutos do mar, carnes e cozinha latina.

Miami também reúne uma série de imensos e climatizados shopping centers e enormes outlets. Por isso, não esqueça de calçar sapatos confortáveis para encarar a aventura das compras.

Entre as principais opções destacam-se o Aventura Mall, classificado como um dos cinco shoppings mais rentáveis dos EUA. Já em Bal Harbour, o Bal Harbour Shops proporciona compras superlativas em ambientes com sofisticação tropical, em cuja lista de lojas estão Balenciaga, Carolina Herrera, Chanel, Dolce & Gabbana, Gucci, Oscar de la Renta, Ralph Lauren e muitas outras.

Please rate this

O universo das compras em Miami

Paraíso das compras: Miami é o destino ideal para quem deseja adquirir produtos importados com preços acessíveis

Tida como queridinha dos brasileiros, a Flórida é um dos principais destinos para quem viaja com o objetivo de fazer compras. Isso acontece porque a região abriga uma das cidades que lidera o ranking de passeios para compras: Miami.

Com uma vasta quantidade de lojas, shoppings, outlets e malls, o lugar chega a receber mais de 14 milhões de turistas por ano sendo que, deste número, cerca de 750 mil viajantes são brasileiros.  Eletrônicos, roupas, tênis, relógios e perfumes estão na lista que lidera os itens de aquisição de quem vai pra lá.

Além disso, Miami também tem uma animada vida noturna, com excelentes bares, restaurantes e baladas que vão até o raiar do sol. Há, inclusive, opções de esportes variados como vela, golfe e wakeboard, para quem não dispensa uma programação diferenciada.

Outro fator interessante do local está relacionado à nacionalidade da população residente. Aproximadamente 60% dos moradores são de origem latina, por isso, é natural encontrar atendentes que falem em português ou espanhol.

Descobrindo onde comprar em Miami

Os destinos favoritos dos brasileiros podem ser resumidos em: Dolphin Mall, Aventura Mall, Sawgrass Mills, Lincoln Road e, para quem possui um poder aquisitivo maior, o Bal Harbour Shop. Todos são referência para a compra de roupas, acessórios, eletrônicos e afins.

Shopping Lincoln - compras em Miami

Mas se você faz o estilo descolado, com certeza vai preferir a linha alternativa de compra oferecida por marcas como a C.Madeleine’s, Channel, Gucci e Delacroix, localizadas ao norte.

Controle de gastos

Não existe regra que determine quanto você vai (ou deve) gastar em uma viagem. Normalmente, os turistas já saem do país com as passagens e o hotel pagos, o que facilita na hora de fazer uma programação.

É essencial que se tenha planejamento e um limite de custos. Assim você não deixa de adquirir o que deseja e, como consequência, não corre o risco de sofrer com a chegada da fatura do cartão de crédito.

A melhor época para visitar Miami:

Falando exclusivamente de Miami, o local oferece um excelente clima durante o ano todo. No entanto, prefira viajar durante a primavera e o outono do hemisfério norte, assim é possível aproveitar a mistura entre dias mais longos e uma menor probabilidade de chuva.

Please rate this

Brasileiros se sentem cada vez mais atraídos por comprar imóveis em Miami

Brasileiros estão entre os maiores compradores de imóveis em Miami que se mudam para lá buscando tranqüilidade, conforto e também a possibilidade de fazer bons investimentos.

Miami foi fundada em 1896 por Julia Tuttle , uma rica e influente industrial. Com o passar dos anos, Miami fixou-se como uma região de opções variadas e atrações para todos os gostos e estilos, chamando a atenção de turistas de todo o mundo em busca de diversão e entretenimento além um estilo de vida repleto de glamour à beira-mar.

Com ótimas opções de negócios, Miami vem chamando a atenção de investidores do mundo todo, principalmente do setor imobiliário. Entre eles, muitos brasileiros atraídos por um custo relativamente menor que o brasileiro, a incerteza no mercado nacional e, sobretudo, os preços.

Visando criar bases em território americano, um público mais restrito de brasileiros de alta renda tem investido forte no mercado imobiliário, comprando casas e apartamentos de valores que variam de US$ 100 mil a US$ 5 milhões, especialmente em Miami e outras cidades da Flórida, onde se fala amplamente espanhol.

De acordo com Luiz Kechichian, diretor da Mirantte Soluções Imobiliárias, empresa especializada em compra, venda e locação de imóveis em São Paulo e Miami, os preços dos imóveis e na cidade americana estão em média 30% mais baratos que antes da crise, além das taxas de financiamento baixas, por volta de 4 a 5% a.a.

Segundo especialistas, Miami possui uma série de atrativos, entre eles a rentabilidade, já que a demanda supera a oferta e, desta forma, não há risco de uma queda de preços. Além disso, até 2020 há a previsão de US$ 10 bilhões de investimentos na região sul da cidade e a geração de mais de 120 mil novos empregos, com a inauguração de inúmeras opções de entretenimento, hotéis, a marina (ampliação do porto, atraindo mais turistas), parques, entre outros e investimentos em imóveis de alto padrão com requinte arquitetônico.

Para comprar, vender ou alugar imóveis em Miami, é imprescindível a obtenção do visto EB-5, que possibilita a obtenção do green card e até da cidadania americana, voltado para investidores e estendido a familiares menores de 21 anos.

“Este tipo de visto não tem atraso durante o processo, permite desconto em escola de ensino superior, entre outros benefícios”, revela o advogado americano Shayne Epstein.

Please rate this

Outubro tem descontos em atrações e até Carnaval em Miami

Outubro é o mês das atrações em Miami. Pelo terceiro ano consecutivo, o órgão oficial de turismo de Miami realiza um programa que oferece a turistas e moradores descontos de até 50%  nas entradas de inúmeras atrações da cidade, durante todo o mês de outubro.

O Miami Attractions Month inclui várias opções vão desde atrações históricas a aventureiras, naturais ou artificiais, como o Vizcaya Museum & Gardens, Miami Children’s Museum, Everglades Alligator Farm, entre outros.

Além disso, no dia 09/10 acontece a 26ª edição do Carnaval de Miami Gardens, um dos eventos mais característicos do sul da Flórida.

carnaval em miami

O tema do desfile de bandas deste ano será as cores e ritmos do Caribe.

O evento sempre é comemorado no domingo mais próximo ao Columbus Day, dia da chegada de Cristóvão Colombo na América, que na verdade ocorreu em 12 de outubro de 1492.

Please rate this

O turismo de compras vem sendo cada vez mais procurado pelos brasileiros

O crescimento econômico do Brasil nos últimos 10 anos inseriu o país no turismo de compras, uma modalidade de turismo que se fortalece cada vez mais.

Muitos consumidores se valem da possibilidade de comprar produtos de qualidade internacional por preços muito inferiores aos praticados no país para planejar suas viagens. Mesmo que o motivo da viagem não seja especificamente fazer compras, é muito difícil resistir a algumas lembranças, principalmente com preços tão atrativos.

Os locais mais procurados para o turismo de compras ou turismo de consumo, como também é conhecido, são aqueles cujos produtos são reconhecidos pelos melhores preços e qualidade.

Entre os destinos mais procurados pelos brasileiros para compras no exterior, estão o Chile, Paraguay e o Uruguay.

Outros destinos como Tailândia e Indonésia, na Ásia, vendem equipamentos fotográficos e produtos eletrônicos com preços comparáveis aos dos EUA.

E por falar em Estados Unidos, o destino campeão de preferência dos brasileiros em termos de turismo de compras é Miami.

Sobre esse assunto, a Notimex, agência de notícias do México, produziu uma uma reportagem na qual citou a Eagle Tours de Miami, empresa especializada em turismo receptivo e turismo de compras para brasileiros em Miami.

Segundo Heriberto Araujo, correspondente da agência mexicana no Brasil, a matéria foi republicada por vários veículso no Mexico e Estados Unidos. Confira abaixo a reportagem (em espanhol) :

Brasileños se lanzan al desenfrenado turismo de compras
Por Heriberto Araújo. Corresponsal.

Sao Paulo, 5 Ago. (Notimex).- Alentados por el crecimiento económico y la apreciación de la moneda local, cada vez más brasileños viajan a Estados Unidos y Europa con el objetivo de comprar masivamente teléfonos celulares, ropas de marca e incluso productos para bebé, cuyo coste en Brasil es mucho mayor por los altos impuestos y los aranceles.

Los datos del Banco Central indican que ni siquiera la Copa del Mundo –que atrajo a 600 mil viajeros foráneos el mes que duró el evento- logró revertir la balanza de gastos de los viajeros internacionales, que desde marzo de 2005 no cesa de registrar una masiva salida de divisas por medio de los dólares y euros gastados por los brasileños que viajan.

Si las autoridades se congratulan de que en junio se estableciera un nuevo récord de gasto de turistas extranjeros en el país, con casi 800 millones de dólares, la cifra quedó eclipsada por los más de dos mil millones de dólares desembolsados por los brasileños en sus salidas al exterior.

“Buena parte de los turistas brasileños consideran la compras como un factor muy importante a la hora de elegir destino”, explica a Notimex Adriano Gomes, director de productos internacionales y operaciones del touroperador brasileño CVC, que organiza paquetes de viaje a Cancún, Miami, Orlando y Europa.

“Las familias suelen organizarse de la siguiente forma: dedican unos días a visitar parques de atracciones en Estados Unidos y luego se reservan tres o cuatro días solo para comprar en ‘outlets’ y centros comerciales de Miami o Orlando”, agrega la fuente, entrevistada en Sao Paulo.

CVC tuvo que adaptarse a las necesidades de su clientes y “ofrecer vehículos más grandes y guías que llevan a los turistas a los principales centros comerciales”, según Gomes, que indica que México no es percibido como un lugar de compras, sino “un país donde encontrar playa, entretenimiento y gastronomía”.

La brasileña Thais Lima, fundadora y directora de la agencia Eagle Tours & Tranportation, con sede en Miami, confirma que las compras “es una parte fundamental” del viaje de los brasileños a la capital de Florida.

“El consumo y el nivel de compras es absolutamente absurdo. Nosotros transportamos a la gente en furgonetas con capacidad para 15 personas y a veces copan todo el espacio apenas tres parejas, porque llevan decenas de bolsas de productos electrónicos, ropa, relojes, maquillaje y todo tipo de bienes”, indica, entrevistada por teléfono desde Miami.

Ese gasto –que fácilmente asciende a varios miles de dólares por persona- se efectúa fundamentalmente en efectivo, sobre todo después de que las autoridades brasileñas impusieran un inaudito impuesto a las transacciones realizadas con tarjetas de crédito, débito y cheques de viaje en el exterior del 6.38 por ciento, con el objetivo de tratar –sin éxito- de frenar la salida de divisas.

“He visto familias con hasta 120 mil dólares en efectivo para gastos y compras”, explica Lima, que reconoce que “algunos clientes vienen de compras para revender los productos en Brasil y han hecho de ello su modo de vida”.

Florida es el principal destino turístico para los brasileños que viajan a Estados Unidos, y los datos oficiales indican que cada turista gasta de media unos cinco mil dólares por visita, el doble de lo que desembolsa un francés o un inglés.

La Organización Mundial del Turismo (OMT) sitúa a Brasil como el duodécimo país del mundo en el ránking de gasto por turista internacional, y en 2012 la media por persona y viaje fue de mil 755 dólares.

Este turismo de consumo resulta debidamente reflejado en las cifras, que alcanzan un volumen extraordinariamente alto: entre junio de 2013 y 2014 los brasileños gastaron 27 mil 288 millones de dólares en el exterior, mientras los extranjeros en Brasil desembolsaron algo más de siete mil 300 millones de dólares, según datos del Banco Central facilitados a Notimex.

“El aumento del gasto en los viajes internacionales refleja el aumento de la renda y la disminución de la desigualdad social en el país, así como el proceso de internacionalización de las empresas nacionales”, asegura en entrevista el Banco Central, a través de su gabinete de comunicación, que admite no tener datos acerca del impacto en la recaudación fiscal de este frenesí por comprar en el exterior.

Brasil creció una media del 3.8 por ciento anual entre 2004 y 2012, según datos del Banco Mundial, lo que provocó la creación de una nueva clase media que, por primera vez, puede permitirse viajar al extranjero.

Celulares y tabletas de la marca Apple, ropa deportiva y de marcas internacionales, maquillaje, productos para bebé y todo tipo de componentes electrónicos tienen en Brasil precios exorbitantes que, en ocasiones, duplican o triplican el costo fuera de las fronteras.

Ello se debe a los aranceles aplicados a los productos que llegan acabados –una medida destinada a promover que los productores instalen ensambladoras-, pero también a la alta carga impositiva a algunos productos.

Esta situación provocó que muchas personas hayan visto en el contrabando –enmascarado en compras personales- una forma de vida, pues productos como iPhones o iPads son fáciles de vender en tiendas virtuales de ciudades como Río de Janeiro, Sao Paulo o Recife por precios que aseguran beneficios de cientos de dólares por transacción.

Un ejemplo de ello fueron dos asistentes de vuelo estadounidenses arrestados en agosto de 2013 cuando, procedentes de un vuelo desde Miami, intentaban entrar en Brasil 14 teléfonos celulares inteligentes, videojuegos, relojes y computadoras, con el objetivo de revenderlos.

NTX/HA

Please rate this

Qual a melhor época para fazer compras em Miami

Fazer compras em Miami é o objetivo principal de muita gente que busca a cidade como destino de férias.

E não é para menos: Miami tem muitas opções de lojas, shoppings e outlets que vendem os mais variados tipos de produtos a preços muito baixos.

Mesmo assim, você pode economizar ainda mais se souber qual a melhor época para fazer compras em Miami. Geralmente, nos Estados Unidos, os principais centros comerciais fazem grandes liquidações nas semanas pós-feriados.Quando fazer compras em Miami

Aproveite para encher as malas após o Natal (é difícil, nós sabemos, mas o esforço vale a pena!), o Memorial Day, o Dia da Independência e o Black Friday, claro – a quarta sexta-feira de novembro, após o Dia de Ação de Graças, em que os shoppings e lojas oferecem descontos de até (!!) 90%. Mas esteja preparado: as filas são imensas e o povo é maluco mesmo, então tenha paciência e calma para não tornar a experiência estressante.

Ao programar uma viagem de compras em Miami, lembre-se também que a maioria das lojas fecha nos seguintes feriados: Natal, Dia de Ação de Graças (apesar de anteceder o Black Friday), Páscoa e Ano Novo.

Veja as datas das principais liquidações para programar seu roteiro de compras em Miami:

Em janeiro, a partir do dia primeiro e no dia 21, que é o aniversário do Martin Luther King. No dia 2 de janeiro, começa uma super liquidação na Victoria’s Secret, para as mulheres fissuradas em lingerie, vale muito a pena.Quando fazer compras em Miami

Em fevereiro, no dia 14 (Valentine’s Day) costuma haver algumas promoções de presentes e queima de estoque do inverno.

Em março, depois da Páscoa, costuma ter promoções de chocolates e produtos relacionados a data, como ocorre aqui no Brasil. Lembre que este é o mês das férias de primavera, o Spring Break, e Miami é um destino muito procurado. A cidade fica cheia de jovens e estudantes festeiros, muito agitada. Se essa não é a sua praia, melhor evitar.

Em maio tem o Memorial Day, um feriado que marca o início do verão e o começo das férias para a maioria das faculdades. As praias e os shoppings estarão cheios, mas com ótimas promoções, especialmente de produtos de inverno! Bom para ir renovar o guarda-roupa para o inverno brasileiro.

Julho é o mês da independência e uma estação muito procurada pelos brasileiros – os americanos costumam evitar ir a Miami nesta época por conta do calor. No final do mês, você começa a encontrar roupas de verão a preços mais baixos, que ficam ainda mais baratas em agosto.

No feriado do Labor Day, em setembro, há muitas ofertas em produtos de verão e em eletrônicos também, que continuam até outubro.

Novembro e dezembro são os melhores meses para quem quer fazer compras em Miami: além da Black Friday, as lojas continuam com milhares de promoções. No dia 26 de dezembro, todos os produtos relacionados ao Natal ficam com 50 a 90% de desconto.

Aproveite essas dicas e se jogue nas compras em Miami, sem culpa e gastando pouco!

Please rate this

5 dicas de passeios em Miami para dias chuvosos

Embora esteja numa região tropical e possua tempo bom durante a maior parte do ano, também chove muito em Miami, especialmente entre junho e setembro. Pensando nisso, separamos algumas dicas de passeios em Miami para os dias em que o tempo não colabora.

1. Compras
Nem precisava falar nisso, né? A maior parte dos turistas vem a Miami para fazer compras, e os que não vêm com esse objetivo acabam não resistindo. O número de outlets e shoppings com lojas que vendem produtos com preços muito acessíveis é enorme. Que tal aproveitar o dia chuvoso para renovar o guarda roupas? Confira aqui nossas opções de passeios específicos para fazer compras em Miami.

2. Chá
Quer se sentir membro da realeza ou um gostinho de Inglaterra mesmo estando em Miami? Aproveite para passar a tarde tomando um chá no Hotel Biltmore de Coral Gables. Por US$ 29,50, você experimenta quitutes ao som de harpa, nos dias da semana, ou violão clássico, se for durante o final de semana.passeios em Miami em dia de chuva - spa

3. Spa
Ih, você já fez muitas compras, bateu perna e bem agora começou a chover? Aproveite para relaxar e recarregar as energias em um spa! Miami possui ótimos Day Spas, nos quais você pode aproveitar vários tipos de massagem, banhos aromáticos e limpezas de pele. Verifique se o seu hotel possui esse tipo de serviço. Caso não possua, alguns hotéis oferecem esse serviço mesmo para quem não está hospedado neles, como o Mandarim Oriental Miami e o The Ritz-Carlton South Beach.

4. Para os apaixonados por carros
Os americanos são apaixonados por carros e o Dezer Collection Motor Museum reúne coleções com milhares de modelos, neste que é um dos melhores passeios em Miami em dias chuvosos. São carros das estrelas de Hollywood, clássicos americanos e europeus, veículos militares, micro-carros… Como se só os carros não bastassem, também há bicicletas, motocicletas e scooters – é aqui que está a maior coleção de Vespas do mundo, aquela motinho clássica italiana.

5. Baseball indoors
Se quer experimentar um programa bem americano e dar uma variada nos tipos passeios em Miami, é possível praticar o esporte sem ter que se molhar. No Hitters Hangout, uma maquininha joga a bola para você rebater. Vale a pena conferir.

Please rate this

Onde ficar em Miami?

É sempre um desafio escolher um hotel e, principalmente, o local onde você ficará durante sua viagem. Com Miami não poderia ser diferente, mesmo sendo conhecida por muitos brasileiros. Por isso, selecionamos algumas dicas sobre onde ficar em Miami.

O primeiro passo não é exatamente definir o local, e sim se você alugará ou não um carro. Nos Estados Unidos, a cultura de carros é muito forte e o transporte público e táxis costumam ser difíceis ou caros (a não ser que você esteja em Manhattan).

Se optar por alugar um carro, você terá mais liberdade para escolher o lugar onde irá ficar. Caso contrário, o ideal é buscar locais que possuam acesso fácil aos pontos que você deseja visitar. Lembre-se também que se tiver alugado um carro você deverá encontrar um local para estacioná-lo – nem todos os hotéis possuem estacionamento próprio e alguns cobram taxas extras para o serviço.

Com isso definido, a escolha do local onde ficar em Miami vai depender do objetivo de sua viagem. Vamos aos principais:

– Comprasonde ficar em Miami

Se você vem a Miami para fazer compras, é interessante optar por um local próximo aos principais shoppings e outlets. Ficar perto do Sawgrasse é uma boa para aqueles que têm poucos dias e planejam comprar só por ali. Mas vale lembrar que perto deste shopping não há nenhum atrativo muito turístico. Fort Lauderdale – que é uma cidade muito bonitinha – fica a 25 minutos e Downtown Miami a mais ou menos 50 minutos, mas não existe transporte público direto para Miami, é preciso primeiro pegar um para Fort Lauderdale.

Perto do aeroporto é uma opção para quem tem mais dias para fazer compras. De lá, dá para ir aos outlets de tri-rail, para Downtown de ônibus e pegar o transporte grátis do Dolphin Mall que passa por várias localidades. Para completar, os hotéis próximos ao aeroporto costumam ser mais baratos –mas por perto também não há muitas atrações turísticas.

– Turismo

Miami Beach é o local mais indicado para quem tem como prioridade turistar, pois permite que tudo seja feito a pé ou com corridas rápidas de táxi/ônibus. Para os mais baladeiros, South Beach; mas se a sua praia for tranquilidade, busque opções mais ao norte.City tour em portugues em miami

Downtown Miami também possui opções de lazer e não fica muito longe de South Beach. A grande vantagem é a facilidade de locomoção com transporte público.

Agora, se o seu negócio é fugir do agito e curtir umas férias mais relax, Coral Gables pode ser o seu destino perfeito. O local é super charmoso, com moradores que transbordam elegância e requinte, e várias opções de lazer tanto durante o dia quanto a noite.

Com essas dicas de onde ficar em Miami, agora é só comprar as passagens e reservar o hotel!

Please rate this

Dicas para não cair em roubadas ao fazer compras em Miami

Todo turista que se preze adora fazer compras em Miami. Este é, aliás, um dos maiores motivos para a cidade receber tantos visitantes, especialmente brasileiros.

Mas não é só porque Miami está nos Estados Unidos que não tem pessoas mal intencionadas que queiram tirar vantagem dos turistas, ou algumas pegadinhas nas próprias lojas. Por isso, separamos algumas dicas para você aproveitar ao máximo sua viagem de compras em Miami e não ter nenhum problema.

– Roubo de bolsasCompras em Miami Shopping em Miami
Acredite, isso é bem comum. Você está tranquilo olhando as roupas ou os produtos em uma loja, se distrai e pimba! Lá se vai sua carteira. Por isso, esteja sempre atento ao que acontece ao seu redor, principalmente nos lugares que você não conhece direito. Uma boa opção é utilizar um daqueles cintos para colocar o dinheiro – sim, é cafona e desconfortável, mas pelo menos assim você não corre nenhum risco!

– Roubo de porta-malas
Você faz milhares de compras e para não ter que carregar todas as sacolas resolve deixar tudo no porta-malas do carro. O que muita gente esquece é que podem ter pessoas observando tudo, só esperando o momento certo para arrombar o porta-malas. E existem alguns esquemas ainda mais profissionais, nos quais os ladrões roubam a freqüência do alarme do carro e roubam tudo sem nem serem percebidos. Coisa de filme! A dica é estacionar o carro o mais próximo possível da entrada do shopping, em lugares movimentos e iluminados. E, claro, volte ao carro só na hora de ir embora.

– Câmbio de moedas
Sempre procura na internet qual o valor do câmbio do dia antes de ir à casa de câmbio, e busque locais que tenham licença para exercer a função. Em hipótese alguma troque dinheiro com pessoas na rua, pois o risco de receber dinheiro falso ou roubado em troca é alto.Os guichês de câmbio em lugares turísticos, como aeroportos, shoppings ou estações de trem costumam ter as taxas mais altas. O melhor é sempre dar preferência a bancos.

– Valores trocados no cartãoCompras em Miami Shopping em Miami
Na hora de pagar, você entrega o cartão, assina e leva o produto para a casa. Tudo perfeito, exceto que na fatura o valor pago é maior do que o valor original do produto. E agora? Impensável voltar ao local para reclamar, né? E como provar que o valor do produto original era outro? Baita confusão! Por isso, antes de assinar, confira sempre os valores e o recibo do cartão de crédito. O único valor que deve ser incorporado ao preço do produto é a taxa de 7% de Miami.

– Produtos esgotados
Você entra numa loja procurando o produto X. O vendedor diz que tal produto está esgotado e lhe oferece um parecido, pelo mesmo preço. Você volta ao hotel e resolve conferir na internet o preço do produto que comprou e descobre que ele tem qualidade inferior ou custa bem menos do que você pagou. Moral da história: não caia na lábia do vendedor, mesmo que tudo pareça uma maravilha. Afinal, o principal objetivo dele é vender, não importa o que…

– Perguntas pessoais
Desconfie de vendedores que perguntarem de onde você é e quanto tempo ficará na cidade. Eles podem só estar sendo simpáticos, mas também podem estar tentando descobrir se você terá tempo para voltar lá para reclamar daquilo que comprou.

– Pechinchas
Ah, como é fácil cair nelas, especialmente durante uma viagem de compras em Miami! Lojas desconhecidas que oferecem eletrônicos por preços que parecem amigáveis, mas no fundo são exorbitantes. De novo, não caia na conversa de vendedores e procure sempre lojas conceituadas, de preferência de tenham franquias e lhe dêem alguma garantia.

Saiba mais sobre seus direitos ao fazer compras em Miami

Se, ao comprar um produto, a loja lhe deu um recibo com as políticas de devolução, você terá que respeitá-las. Caso nada tenha sido lhe informado, você tem direito a 100% de reembolso pelo que pagou se devolver o produto em até sete dias a partir da data de compra. Note que isto não se aplica a produtos perecíveis, personalizados ou que tenham sido usados e/ou estejam sem a etiqueta/embalagem originais.

Ao contrário da Europa, onde a taxa VAT sobre produtos é reembolsável, nos EUA isso não é possível. Lá não existe VAT (value added tax), e sim sales tax, que é municipal. Grande parte da receita da ‘sales tax’ vai para a construção de novas ruas/estradas/iluminação/calçadas enfim, infra-estrutura também utilizada pelos turistas, portanto não há porque eles lhe reembolsarem.

Antes de se jogar nas compras em Miami, sempre conheça as políticas da loja sobre devoluções e reembolsos. Se a loja não devolver o valor ou aceitar trocas devido a algum defeito no produto, procure outra loja. O mesmo vale para as garantias. E ao comprar eletrônicos, informe-se primeiro se o produto funciona no Brasil, para não ter surpresas ao voltar.

Please rate this

Cuidados na hora de organizar as malas após uma viagem de compras em Miami

Fazer compras em Miami se tornou um hábito muito comum entre brasileiros. Com pacotes de viagem cada vez mais acessíveis e uma grande diferença de preços e qualidade entre os produtos vendidos por lá, nada parece mais natural do que voltar com as malas cheias.

Mas como fazer para organizar a mala na hora da volta, de maneira que nenhuma compra estrague/quebre e também evite problemas com a alfândega? Para começar, é interessante conhecer um pouco das regras que são aplicadas pelas companhias aéreas e pela Receita Federal.Compras em Miami malas

O limite de volume e peso permitido pela maioria das companhias aéreas costuma ser duas malas, com peso de até 32 kg. Também é permitido levar um volume de mão, cujo peso varia de cinco a dez quilos – é importante confirmar esta informação com a sua companhia antes de planejar trazer umas comprinhas extras na bagagem de mão.

O mais complicado são os limites impostos pela alfândega. É difícil controlar, mas suas compras em Miami tecnicamente não podem ultrapassar o valor de 500 dólares. Para as compras no free shop dos aeroportos (quem resiste a uma passadinha nessas lojas que vendem produtos isentos de impostos?), é garantido uma quantia extra de 500 dólares.

Agora que você já conhece melhor as regras, veja algumas dicas para arrumar sua mala ao voltar de uma viagem de compras em Miami:

– Disponha toda a sua bagagem sobre a cama para não esquecer nada ou não achar alguma coisa depois das malas fechadas. Nesta hora, separe tudo o que vai para o saco a vácuo e o que é rígido.compras em Miami malas

– Tenha em mãos tesouras, balança, sacos zip e fita adesiva.

– Para diminuir o peso e maximizar o espaço, tire tudo das embalagens. Se as caixas contiverem informações ou instruções importantes, tire fotografias, e não se esqueça de guardar todos os manuais. Tire também as etiquetas e indicativo de preços das roupas, assim você mostra aos fiscais que não pretende revender os produtos.

– Coloque cremes, pomadas e tudo o que puder vazar em sacos zip.

-Acredite, sacos a vácuo são grandes aliados na economia de espaço. É só colocar tudo dentro do saco e utilizar um aspirador de pó para retirar todo o ar, deixando tudo super compacto.

– Evite utilizar malas grandonas tipo saco, as famosas malas de “sacoleiras“. Elas são difíceis de carregar, chamam atenção na alfândega e não oferecem proteção alguma às suas compras.

– Distribua bem o peso entre os seus volumes, mas mesmo assim pese cada uma de suas malas enquanto estiver organizando, pois precisar abrir a mala na hora do check in pode ser um verdadeiro pesadelo.

– Se você possuir itens que sejam muito caros e volumosos, o melhor é declarar os objetos para evitar pagar multas. O valor do imposto cobrado costuma ser 50% do valor do objeto – mesmo assim, em muitos casos, como no de eletrônicos, ainda assim compensa comprar em Miami e pagar o imposto.

Please rate this